Juscelino Kubitschek é tema de “Um Lugar” – novo trabalho de Glaucia Nasser

Por: Vinícius Aliprandino

2f10ffa1fd3decb8f3be588bb68e3037115a44f3

Em tempos nos quais as instituições de poder passam por doses de descréditos, por boa parte da população, e consequentemente até uma capital paga pelo descontentamento, no qual muitos até pedem e torcem para que bombas atinjam a cidade, Glaucia Nasser vai na contramão.
Recentemente a cantora lançou o EP “Um Lugar“, que faz homenagem ao ex-presidente Juscelino Kubitschek e a cidade de Brasília.

A ideia de compor contando a história de JK nasceu durante a turnê do disco “Em Casa“, que Glaucia havia lançado em 2015. Este trabalho era uma homenagem a Minas Gerais, terra natal da cantora.

jk

Nesse processo, a cantora começou a se envolver com a história do ex-presidente, quando realizou uma apresentação em homenagem aos 110 anos de nascimento de JK. Naquele momento, a artista percebeu a importância do ex-presidente. Após vários estudos que resultaram em um show que contava a história de Kubitschek, e chegou ao ponto de reunir pesquisadores que contribuíram para mudar as projeções e lançar o “Uma Noite Com Juscelino: Um Reencontro com o Brasil” – um show que já tem rodado todo o país.

Após tanto material e estudo Nasser decidiu lançar o “Um Lugar“. O trabalho começa com uma música que leva o mesmo nome do EP.

CADERNO 3


Um Lugar

A canção começa forte e traz a sensação de esperança, sentimento esse que será uma marca de todo o EP. O violão, a percussão e o texto fundamentado em Dom Bosco, que previu onde nasceria uma nova civilização, local onde fica Brasília. Os versos mostram um projeto de uma cidade que trouxesse progresso, que pudesse acolher, ser gentil e fazer florescer a esperança.

Quero um lugar que reúna tudo, a luz do sol tendo anoitecer. De tanto existir ganhar sentido, valendo a pena nos entender. Vibrar as fontes vão nascer, no sentir ser gente igual. Um lugar planalto e central, mel jorrar, cidade luz.” Como segunda voz, ao fundo, de maneira crescente em cada palavra, os versos de “Todos juntos, vamos juntos, as fronteiras desabar”, trazem a ideia de unir forças para construir e derrubar não só as fronteiras locais, mas também as barreiras sociais que nos deixam trancam em quartos isolados e impedem a melhoria de um todo através da junção de forças e a solidariedade e compreensão com o próximo.


Vivalda

Em seguida é a vez de “Vivalda”. Uma canção mais suave, um tanto tropical, que dá a sensação a quem ouve, de estar sentado em uma varanda, típico ritmo que combina com nosso clima tropical. A canção traz a ideia mais uma vez esperança ao contar a história da construção da rodovia Belém-Brasília, pelas mãos dos nordestinos, a quem JK se referia como “os grandes integracionistas do país”.

A gente pode ver além do olhar, a gente pode ser aquilo a gente quiser , e a gente quer , e a gente vai, e a gente sabe, a gente pode, a gente é, e eu tenho fé que com você por perto a gente tem um jeito certo até de melhorar, mudar o fim antes do fim chegar”; são alguns dos versos da poesia de Nasser que mostra mais uma vez a sensação de desejo em fazer o melhor, acreditar na mudança e com a força de todos juntos, pode existir um sentido melhor para o mundo. Naquela ocasião, a esperança era com a construção de uma nova capital, mas cada trecho da música serve de inspiração para os tempos atuais, de modo que larguemos o individualismo e egoísmo e busquemos com forças unidas melhorias para um bem coletivo.

Vide, Vida Marvada

Após as canções autorais, “Um Lugar” abre espaço para “Vide, Vida Marvada” de Rolando Boldrin. Uma música com ritmo típico do campo, com ar regional e do interior e que tenta mostrar a época da estruturação do Brasil como país e como “era positivo se esforçar para realizar 5 anos de agricultura para se obter 50 de fartura”.

É que a viola fala alto no meu peito humano. E toda moda é um remédio pros meus desengano. É que a viola fala alto no meu peito, humano. E toda mágoa é um mistério fora deste plano


Lamento Sertanejo

A próxima música é “Lamento Sertanejo”, de Dominguinhos e Gilberto Gil e traz mais uma vez na temática o povo nordestino. A canção resgata a história de quando JK foi ver de perto o problema da seca do sertão.

Como diz o próprio nome da canção ela traz sensações de lamento e tristeza que são comprovadas em cada letra da canção de Dominguinhos e Gil.

Por ser de lá, do sertão, lá do cerrado. Lá do interior do mato, da caatinga e do roçado. Eu quase não saio, eu quase não tenho amigo, eu quase que não consigo ficar na cidade sem viver contrariado

Bola de Meia Bola de Gude

A quinta e última faixa deste primeiro volume do trabalho de Nasser traz a canção “Bola de Meia, Bola de Gude”, de Milton Nascimento e Fernando Brant. Nesta canção, Glaucia traz a tona os valores como caráter, bondade, alegria e amor e os relaciona a figura do ex-presidente. A conclusão que Nasser traz é a de que se aqueles anos dourados não tivessem sidos interrompidos por uma ditadura, hoje, os frutos do país seriam mais doces.

Toda vez que a bruxa me assombra O menino me dá a mão e me fala de coisas bonitas que eu acredito que não deixarão de existir. Amizade, palavra, respeito, caráter, bondade alegria e amor. Pois não posso, não devo, não quero viver como toda essa gente insiste em viver. E não posso aceitar sossegado qualquer sacanagem ser coisa normal

E assim se encerra o primeiro volume deste trabalho, em homenagem ao ex-presidente Juscelino Kubitschek, que conta sua história e seu projeto de uma cidade para um futuro melhor.

“Um Lugar”  nos leva a viajar pelo país e enxergar os detalhes das regiões e lembrar da força daqueles que construíram esse caminho e seu resultado.

Um trabalho marcante e importante nestes dias de descrença nas instituições que provocam a ira contra esse projeto cercado de ideias positivas, e que infelizmente segue cercado também por um sistema sujo. Entretanto, como diz a ideia do EP em sua essência, devemos cuidar e construir desse “Um Lugar” e melhorá-lo, lutar para mudar aquilo que o contamina, ao invés de destruí-lo ou torcer para que algum de ruim aconteça. Afinal, esse é um projeto, construído e em construção, que como diz a música, deve juntamente conosco servir para trabalhar a amizade, respeito, palavra, caráter, bondade, alegria e amor. Em tempos complicados, o EP de Nasser nos traz a ideia de luta e esperança.

Acompanhe mais de perto o trabalho de Glaucia Nasser através de sua página oficial no Facebook.

Você pode ter acesso ao EP pelo Ripple TunesITunes ou Spotify.

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s