Jota 3 lança disco que retrata a revolução

Por: Letícia Moraes

15109412_1271515782887399_6260852268880667260_n

O cantor Jota 3 lançou o álbum “Amplificado por Digitaldubs”, contando com a direção e mixagem de Marcus MPC, do tradicional sound system carioca. Além disso o trabalho, que contém nove faixas, contou com a participação especial de BNegão, Sly and Robbie, Jeru Banto, Twilight Circus, G Corp e Reality Shock.

O disco trata sobre resistência, amor e consciência, fazendo um viagem por diversas vertentes da música jamaicana como: reggae roots, rocksteady, dub, lovers rock e dancehall. O tema principal do disco é a revolução, a luta do cidadão comum e seu chamado para resistir ao sistema, promovendo através disso uma transformação interior. A ilustração da capa do disco é assinada pelos artistas mexicanos Gran OM e EL Dante, usando a linguagem gráfica para fazer referência aos revolucionários zapatistas.

A criação desse magnífico trabalho contou com muitos produtores, e passou por estúdios entre o Rio de Janeiro, Barcelona, Birmingham, Kingston e Vitória. E apesar dessa diversidade de estúdios, a direção artística ficou toda por conta da Digitaldubs, que criou alguns instrumentais e mixou todas as músicas, fazendo a arte se tornar conceitual às ideias do disco.

A música de abertura do disco “Tempo de revolução” ganhou um clipe com imagens cedidas pela Mídia Ninja.  As imagens mostram cenas de diversas manifestações por todo o Brasil, movimentos feministas, da Juventude Negra, das periferias, do MST e da Marcha da maconha.

Sobre Jota 3:

Nascido no Rio de Janeiro e criado em Vitória, ele é fruto da cena underground capixaba dos anos 90. Em meados de 2000 conseguiu seu lugar na cena hip hop do Espírito Santo, abrindo shows para grandes nomes nacionais. Já teve dois discos lançados antes desse: Freestyle (2003) e Rap Rasta (2008), já participou da coletânea “Caldeirão do Huck HipHop Nacional” e teve uma faixa incluída na trilha sonora do jogo Fifa Street II em 2006.

Depois de um acidente ele ficou um ano e meio sem andar, e parou de cantar. Utilizou esse tempo para repensar sua música e a trazer de volta mais espiritualizada. Em 2012 estava recuperado e prestes a desistir da carreira musical, quando foi chamado por amigos músicos para ir a Barcelona, onde formou o grupo de reggae “Acadêmico da Rua” e gravou mais um disco.

Depois passou um período morando entre Birmingham e Londres, até 2014 e conheceu de perto os sound systems da cultura jamaicana. Por lá participou de eventos importantes como: United Nations of Dub, Ove Love Festival, Reggae City e esteve no Pub Hootananny. Pela Europa seus laços com o Digitaldubs se fortaleceu, voltando ao Brasil resolveu gravar esse novo disco.

O trabalho pode ser ouvido pelo soundcloud:

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s