Influenciada pelos vários “des” da vida, Vladvostock lança o EP “Destudo”

Por: Vinícius Aliprandino

vladvostock
Crédito da foto: Yamin Kalaf Lopes

É lançamento do ano passado, mas a validade ultrapassa os anos e a arte é capaz de imortalizar o artista. Cada vez mais cravando seu nome no cenário musical, a Vladvostock lançou no fim do ano passado seu EP “Destudo”. E apesar de ser notícia de 2016, não deixa nenhum pouco de ser assunto quente e digno de ser mostrado pelos veículos de comunicação de 2017 em diante. Até porque o trabalho vem pra demonstrar uma nova fase da banda, que já havia lançado seu single “Ânsia, e mostrado que a banda vem ganhando espaço na cena musical e crescendo cada vez mais.

Anteriormente, o grupo de Morph Rock, como eles mesmo se autodenominam,  havia lançado o EP “Pompeia”, em 2015. Após experiências conquistadas e agora desbravando o mundo do rock, a Valdvostock traz quatro faixas que formam “Destudo”, abordando nesse título todas as palavras que o prefixo “des” consegue abranger.

Entre essas palavras podemos destacar: “Despreparado”, “Descrente”, “Desprendido” e “Desinteressado”. Elas podem soar de maneira negativa, mas são influências positivas para esse EP da banda paulista que conta com Rubens Adati (Guitarra e Vocal), João Schatzer (Baixo) e Vitor Albuja (Bateria).

capa-do-ep-destudo
Arte da capa de “Destudo”: Yasmin Kalaf Lopes

Faixa a faixa 

Ânsia

Para começar falando do EP, aqui vem ela, a canção “Ânsia”, já divulgada pela banda, para deixar o público na expectativa e com aquela sensação de “quero mais”, em uma verdadeira ânsia pelo que estava por vir.

Com uma pegada bem do Rock Alternativo, que lembram a linha de bandas como The Strokes e a nacional Vivendo do Ócio, a canção traz em sua temática a situação de um indivíduo que perdeu alguém e agora luta contra e, simultaneamente, conta com o tempo para curar as feridas dessa dor. Destaque para o baixo da canção, que trabalha nos bastidores, marcando o ritmo da música.

Fico paralisado
Quando você passa
O tempo para
E eu não sei o que dizer
Pra fazer voltar
A rodar o ponteiro
Vai, vai passar
Essa ânsia de te ver

Céu

Em seguida, “Destudo” engata a segunda marcha e mostra sua canção “Céu”. Com um ritmo mais tranquilo e sem o desespero que trazia na faixa anterior, a música fala sobre aceitação. A letra mostra um indivíduo que bate no peito e afirma que ninguém vai impedi-lo de ser quem ele é. Ao mesmo tempo, os versos trazem um ar de positividade, cantando aos quatro ventos que “ninguém vai me perturbar enquanto eu olhar pra frente. E ninguém vai me atrapalhar na minha impossível tarefa de ser quem eu sou. E ninguém vai me atrapalhar enquanto eu pensar pra cima”.

Piranha

A terceira faixa vem com um diferencial. Além do nome ser o mais “agressivo” do EP, “Piranha” conta com a participação de Nando Altenfender na percussão. Altenfender é quem abre a música com suas batidas, que logo são acompanhadas pelos riffs de guitarra que se repetem de maneira a dar um ar de sinistro e psicodélico.

Outro detalhe importante é que nessa faixa, os instrumentos e o nome da canção falam por si só, abrindo mão dos versos. Além disso, aqui mais do que nunca, cada um pode interpretar a canção a sua maneira. O instrumental te prende e aos poucos muda o ritmo nas batidas de Nando. No total são quatro minutos e meio de música. Aos 3:30, o caos toma conta da canção, a qual acaba por um instate, mas logo volta com o psicodelia que a Vladvostock mostrou que sabe fazer.

Ela

E por falar em caos, a última canção de “Destudo” pega rabeira nessa ideia e finaliza o EP quebrando tudo. Isso mesmo. A quarta e última faixa recebeu o nome de “Ela” e traz uma batida neurótica e raivosa. Se a psicodelia reinava em “Piranha”, a velocidade dos riffs e batidas fortes da bateria trazem aqui uma sensação de “destruir tudo o que vê pela frente”.

Em “Ela” a banda traz outra participação especial. Desta vez, o grupo paulista contou com Popoto Martins, vocalista da banda “Raça”.

Ela me diz tantas verdades e eu fico quieto pra não mentir. Não venha me dizer que eu não sei” são os versos que acompanham a canção que fecha “Destudo” de maneira rápida e incansável, demonstrando que o grupo é sangue novo no mundo da música e tem muita energia pra queimar e levar esse trabalho às alturas.

O EP foi gravado no Home estúdio de Ablan Namur, com exceção das baterias, gravadas no home estúdio de Rubens Adati.

A arte da capa tem os créditos de Rubens Adati e Yasmin Kalaf Lopes, e a distribuição foi feita pelos selos Banana Records e Cosmoplano Records.

Confira “Destudo” nos links abaixo e acompanhe o trabalho da Vladvostock através da página oficial da banda no Facebook.

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s