Tinta, papel e entrevista – a arte de Bianca Craco

Por: Vinícius Aliprandino

17629732_1865696353687817_7760372639820337199_n (1)

Recentemente, a artista Bianca Craco lançou sua página oficial no Facebook, para poder realizar a divulgação de suas obras.

Apesar de ser nova no mundo artístico, Craco já possui muitos trabalhos realizados, que passeiam por diversos temas e formatos. Em cada um deles, Bianca tem exteriorizado suas ideias e sentimentos, dando vida a sua arte.

Além de desenhista e pintora, Bianca Sousa Craco, é estudante do último ano de Artes Visuais da Unifran (Universidade de Franca) e mora em Batatais – SP.

Para aprender mais sobre o universo da pintura e o trabalho de Bianca, o Papo Alternativo realizou uma entrevista com a artista, na qual ela explicou a respeito do processo de produção, a diferença entre algumas formas de arte, falou sobre suas influências, entre outros assuntos que vocês conferem logo abaixo.

17858345_1250368348410299_1388707216_o

(Papo Alternativo) Bianca, primeiramente, gostaria de agradecer por conceder essa entrevista ao Papo Alternativo. Pra começar, conta pra gente como você iniciou nesse universo e quais são suas influências pra desenhar e pintar?

(Bianca Craco) Eu que agradeço a oportunidade. Acredito que o trabalho que vocês realizam é extremamente importante. Tem muito artista por aí que precisa mostrar seu trabalho e faltam oportunidades para divulgar. E mesmo com a facilidade das redes sociais, ainda ficam à margem. É fato que todo artista gostaria de viver da sua arte, mas realmente é um pouco complicado. Então obrigada.

Bom, eu sempre gostei de desenhar e pintar, enquanto estava no ensino médio sempre praticava, mas nunca havia feito curso nenhum. Em 2014, assim que me formei, entrei para um curso de pintura em tela e realizei apenas um trabalho, pois logo entrei na faculdade.

De início não sabia exatamente o que eu queria e uma amiga, que já estava no curso, me convidou para conhecer. E então encontrei o meu lugar.  A cada dia me encontrava mais e mais, e hoje tenho certeza absoluta que é nesse meio que eu quero viver.

É difícil falar das influências artísticas porque são várias, mas o que tem maior peso em mim e nas minhas obras são as mulheres artistas, como Frida Kahlo, Marina Abramovic, Lygia Clark, etc.

17859093_1250367331743734_766377039_o

(Papo Alternativo) Há quanto tempo você tem realizado seus trabalhos e, mais ou menos, ou se puder nos falar exatamente, quantos trabalhos você já tem?

(Bianca Craco) Como sempre gostei de desenhar, tenho muitos trabalhos de anos atrás, mas comecei a levar a sério de uns 4 anos pra cá. O acervo não é grande, pois depois que entrei para a faculdade, outras áreas começaram a tomar minha atenção e por trabalhar fora, o tempo encurtou mais.  Mas sempre encontro um tempinho para desenhar. E neste semestre na faculdade estamos tendo aula de pintura, estou conseguindo produzir mais.

17857760_1250380625075738_51991594_n

17838672_1250372371743230_623803762_o

(Papo Alternativo) Sabemos que deve ser difícil para o artista fazer uma escolha assim, mas entre todos os seus trabalhos, quais as obras que você mais gostou de produzir?

(Bianca Craco) Realmente é bem difícil, porque gosto e me envolvo por inteira no processo de criação dos meus trabalhos. Porém, no ano passado realizei dois trabalhos de gravura na faculdade e como não havia tido contato ainda com essa técnica, fiquei apaixonada. Fizemos uma linoleogravura e uma xilogravura.

(Papo Alternativo) Como você faz suas gravuras e pinturas? Explica pra gente como é o processo que você desenvolve do início ao fim?

(Bianca Craco) O processo dos dois materiais é quase parecido, porém a madeira precisa ter um preparo diferente. Quem se interessa por arte, em geral, vale à pena pesquisar e realizar o trabalho, é muito legal.  Bom, dessa aula surgiu duas séries de gravuras que nomeei “África”. Na xilogravura desenhei uma mulher africana toda caracterizada na sua cultura. Na linoleogravura fiz uma releitura da capa de álbum de uma banda que eu gosto muito, e que mistura elementos da música africana, Afrobeat, brasileira, latina e do Jazz – a Bixiga 70.

17837432_1250369295076871_187048802_o


(Papo Alternativo) A arte é uma maneira muito forte para se expressar. Em seus trabalhos têm muito daquilo que você pensa e acredita. Quais as temáticas que você aborda em seus trabalhos, e o que você pretende transmitir com eles?

(Bianca Craco) É engraçado falar sobre isso porque muitos trabalhos surgiram de uma ideia que vem do nada na cabeça, e, se às vezes eu não estou em casa para colocar logo em prática, preciso marcar ou tentar ficar com ela na cabeça até conseguir pelo menos realizar um esboço. Mas apesar disso, acredito que todos meus trabalhos são uma comunicação de interior para exterior e de exterior para interior. Não sei exatamente a ordem disso, mas provável que seja meio transformando indivíduo e indivíduo transformado e se expandindo novamente para o meio.

Muitos trabalhos são sentimentos meus materializados com tinta e papel. Também gosto de retratar seres humanos. Pessoas são misteriosas. Cada corpo com seu universo, suas emoções, seus sentimentos.

Como é o ultimo ano da faculdade, estou realizando o trabalho de conclusão de curso (TCC) e nele vou abordar os conceitos de corpo e nudez dentro da arte, pois o corpo fala muito e infelizmente ainda é tabu falar disso. “Por que o homem sempre teve a necessidade de se retratar? Quais os conceitos de corpo e nudez ao longo do tempo? Como que olhamos pra esse corpo despido? Olhamos nosso próprio corpo? E o que ele nos diz?”

Todas essas questões estão agindo forte influência para meus últimos trabalhos plásticos e estou inteiramente envolvida com isso.

 

(Papo Alternativo) Além da pintura, você trabalha com outros formatos de arte?

(Bianca Craco) Apesar de estar envolvida com as quatro linguagens da arte (artes visuais, música, dança e teatro) por conta da faculdade, além da pintura, me envolvo demais com a fotografia e, mesmo não possuindo nenhum curso profissional nessa área, tenho alguns trabalhos fotográficos, tanto para a faculdade, quanto por gostar mesmo. Talvez a fotografia será outro campo que eu vou explorar mais, futuramente. 

(Papo Alternativo) Você faz tanto gravuras quanto pinturas. Fala pra gente qual a diferença entre esses dois formatos.

(Bianca Craco) A gravura possui um processo mais específico e trabalhoso, e, em cada material suporte para a matriz, esse processo se difere. São vários materiais que podem ser usados para gravar, os mais conhecidos são: Linóleo, madeira e metal.  Além do material para o suporte existem as ferramentas especificas para fazer o corte, que são chamadas de goivas. Para fazer a impressão, é necessária uma prensa. Existe uma técnica de prensa com colher que é muito interessante.

Já a pintura te dá maior liberdade na escolha do suporte (papel, madeira, argila) e na tinta (óleo, acrílica, guache). São muitas as possibilidades.

Para quem se interessar existem vários outros vídeos como esse, que mostra todo esse processo de gravar.  Vídeo – Ateliê de GravuraOficina Cultural Oswaldo de Andrade:

(Papo Alternativo) Você expõe seus trabalhos em sua página no Facebook. Além do Facebook, existe outra rede social, ou até fora a internet, outro local, onde você os expõe?

(Bianca Craco) Fiz algumas exposições na faculdade mesmo e, agora com a criação da página, já surgiram algumas oportunidades de divulgação. Espero que venham mais. (risos)


(Papo Alternativo) Bianca, estamos chegando ao fim da entrevista. Gostaria de agradecer mais uma vez sua participação aqui, por bater esse papo alternativo com a gente. Esse último espaço é reservado para você falar sobre algo que não tenha sido abordado ao longo da entrevista ou deixar algum recado para o pessoal que leu a entrevista.

(Bianca Craco) Eu que agradeço novamente a oportunidade e quero parabenizá-los por seu trabalho.

É difícil ainda definir o que é arte e qual o papel dela perante as pessoas e o mundo, mesmo lendo várias definições de estudos e profissionais que trabalham com isso, ainda caio em profundo questionamento, e sei que ainda estou em um processo de construção. Mas é no sentir e no fazer que me encontro, com sua essência mais pura e verdadeira. É no expandir e transmitir que finco raízes e nessa busca de olhar e enxergar que vou trilhando meu percurso artístico.

E acredito com absoluta certeza que, arte transforma indivíduo, indivíduo transforma meio e meio transforma a relação entre esses indivíduos.

17820605_1250364415077359_923950908_o

Conheçam melhor e acompanhem o trabalho de Bianca Craco através de sua página oficial no Facebook.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s