Dois Reis: Rock, folk, pop e balada em oito faixas

Por: Letícia Moraes

19224915_1436905719723358_2573021111212836587_n

O CD “Dois Reis” é o primeiro trabalho do duo 2 Reis. Que foi lançado pelo selo independente Relicário. O trabalho possui oito canções que variam entre rock, folk, pop e balada. Sebastião entona o violão que é a estrela das músicas, dividindo o vocal com seu irmão Theo.

A banda que acompanha os dois rapazes é formada por Victor Barreto (guitarra), Rafinha Wer (bateria), Gabriel Gariba (baixo) e Pedro Lahoz (teclado). O álbum foi gravado no período de setembro de 2016 a fevereiro de 2017 no estúdio Space Blues (São Paulo).

A produção é de Fernando Nunes, que também se responsabilizou pelos arranjos junto à banda. Co-produção e mixagem ficaram a cargo de Alexandre Fontanetti e masterização de Chris Hanzsek.

O CD foi lançado de forma física e pelas plataformas digitais. Para mostrar a vocês toda a magia deste incrível trabalho que mescla estilos tão intensos, fizemos uma resenha faixa a faixa, mostrando um pouco do que pode sentir ao ouvir essas oito canções.

21743364_1530700440343885_690779075901523913_n

Abri as portas: A canção começa com um efeito de alegria do pop e nostalgia dos anos 70. A letra é um tanto motivacional, forte e ecoa na alma. O seu toque impregna a mente e nos faz querer ouvir repetidamente por horas e horas. Abrindo o disco com uma energia muito cativante.

Seja como for: Uma pegada pop um pouco mais “pesada”, onde sente-se a alma do rock ecoar ao fundo. Com uma letra admirável, e também bastante motivadora, mostrando que as nossas leis somos nós que fazemos.

Se prepare: Um pouco mais pesada em efeitos e arranjos. Canção de refrão forte e marcante, que já foi gravada pela Zafenate (antiga banda de Theo), mas que ganhou uma nova cara nas mãos da 2 Reis.

Curva dos 30: Lembrando alguns tons românticos dos anos 60 com um tempo quebrado, a faixa é carismática e gostosa de se ouvir. Fala sobre a passagem do tempo, banhada em trombones e diversificações musicais singelas.

A sombra do futuro: De letra mais reflexiva, mesclando o vigor do rock com um violão de MPB. Arranjos bem feitos, dedilhados complexos. Dando valor à voz que combina com cada entonação instrumental, que cresce aos poucos. Uma letra que se enquadra em muitos de nós por diversas situações.

Repartir: Melodia suave, que não foge ao estilo do duo. Seguindo a franqueza na letra forte e sempre trazendo uma mensagem. Canção que passa por alteração de sintonia, mas que não perde a sincronia de suas notas.

O sexo mais forte: Uma batida bem rockabilly combinada ao modernismo do estilo. Trazendo junto a suave voz de Luiza Lian. A letra valoriza o que é ser mulher, por isso a participação especial caiu muito bem, além das vozes se combinarem, pelo contexto. A canção que mais se adentra ao estilo folk.

O tempo: Rock progressivo que inclui lap steel e um trio de backing vocal feminino. Sem abandonar o forasteiro violão. Letra que se despede do disco com um teor otimista. O instrumental é todo valorizado, onde se pode reparar cada instrumento escolhido tendo performance marcada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s