Henrique Frederico propõe enxergar além “Do Aquário” no qual estamos presos

Por: Vinícius Aliprandino

Capa_3000x3000px

Estagnados, presos, amordaçados e sem enxergar o que existe a nossa volta. Muita coisa é discutida a respeito de estarmos vivendo em um mundo fechado. Algumas das redes sociais são temas de debate, os quais dizem que nelas vivemos dentro de uma bolha. As mesmas opiniões que nos circulam e assim fazem nossa ideia de mundo ser reafirmada, sem contestação, sem opinião contrária.

Claro que as vezes nos deparamos com alguém que pensa de maneira diferente. Mas qual a reação de cada diante de tal situação? Estamos abertos ao debate? Ou então nos colocamos numa posição de atingidos com outra proposta, de modo que vivemos naquele debate, em uma espécie de competição para se sobressair sobre o outro, a fim de fazer valer o seu ponto de vista? Não diz respeito a ideias que discutem algo que possa ferir a integridade ou a liberdade de outro. A questão vai além e diretamente naquilo que é discutível.

É nessa proposta que Henrique Frederico surge com seu single “Do Aquário”. Buscando ir mais além daquilo que é proposto ao homem. Buscando olhar através das entrelinhas e entender o mundo sob um novo olhar. Em uma experiência de se colocar no lugar do outro para entender a causa dele ser assim. É estar do outro lado e enxergar aqui. É viver o agora com responsabilidade, mas não daquela forma que é nos passada como chave para seguirmos o fluxo, que muitas vezes não questiona e não respeita. É sair “Do Aquário” e romper paradigmas, nos quais fomos ensinados e que merecem questionamento.

De acordo com o músico, a ideia é também acordar e lutar por aquilo que deseja, ocupar seu espaço e ter voz ativa. “Que o altruísmo possa existir e principalmente, que sejamos protagonistas e não figurantes”, comenta Henrique.

Tudo isso sem querer ser engessado e buscar ter coerência todo o tempo. Na canção, Frederico também busca rir da situação, que é alvo de crítica. Segundo o músico, a proposta não é uma auto ajuda e muito menos tem um manual de instrução exato, para ser engolido. Para o artista, a música também “está mais pra rir e ironizar quem está nesse aquário e principalmente, quem sabe muito bem disso e continua batendo a cabeça no vidro e pedindo ração“.

“…Tanta pedra e vidro que nos faz tão bem
Preso nesse espelho o esquema é convencer…”

Em alguns pontos do single, o músico faz uma reflexão baseada em um mundo recheado de distrações confortáveis, que sem questionamentos, os habitantes desse quarto de vidro, consomem incontrolavelmente, muitas vezes colocando isso a frente de necessidades, que seriam prioridade, apenas pelo simples fato de convencerem e serem aceitos.

“Quanto mais eu tenho, mais eu me acho. Se desperdiço riso, economizo dó”

O querer sempre mais. O músico também canta a respeito de sermos induzidos por um mecanismo criado para vender e nos fazer pensar que precisamos de certas coisas, para nos destacarmos ou fazermos partes deste aquário em que vivemos. A falta de pensar no próximo, de se colocar no lugar do outro, em contraste a preferir debochar ou menosprezar alguém – até porque essa talvez seja a lógica “Do Aquário” no qual estamos confinados – pode ser percebida ao longo da música.

Henrique Frederico 2


Influências

Musicalmente falando, o trabalho de Henrique é reflexo de uma gama de influências, que vem do Alternativo, Dream Pop, Shoegaze, Punk e o Pop. Tendo portas abertas no mundo de conhecer bandas do Rock Alternativo, através do Nirvana, o músico bebe de influências de bandas como Pavement e Sonic Youth. Além dessas, o rock nacional não fica de fora dessa bagagem cultural – Terno Rei, Ludovic, gorduratrans, Lupe de Lupe, também são citadas como parte de sua formação musical.

Inserido no mundo da música desde o início dos anos 2000, essa é a primeira vez que o músico entra para desbravar este universo como carreira solo.


Participantes

Apesar da carreira ser solo, o músico não trabalhou nessa sozinho. A música, letra e produção, sim, recebem os créditos de Henrique Frederico. Já a parte de mixagem e masterização foram realizadas por Jorge Jr. A gravação de “Do Aquário” aconteceu no Estúdio Aranha, em Mateus Leme – MG.

Assim como a voz, a guitarra também foi gravada pelo próprio Henrique. Entretanto o músico contou com Chico Ferreira na outra guitarra, Vinícius Faria mandando os graves do baixo e, para fechar a cozinha, Jorge Jr. Ficou responsável pela bateria.

Do Aquário” é o primeiro single do artista, que prepara seu disco de estreia, para ser lançado neste ano. E as temáticas das outras canções não deixarão por menos do que pode ser visto no single. Os temas tratados continuarão fortes e impactantes falando sobre assuntos conflitantes, políticos e sociais.

Para saber mais a respeito do trabalho de Henrique, o Papo Alternativo realizou uma entrevista com o músico, que você confere logo abaixo.

 


 

(PAPO ALTERNATIVO) Henrique, obrigado por conversar com o Papo Alternativo. Pra começar, conta pra gente como você inciou sua carreira solo e qual a sua proposta?

(HENRIQUE) A questão da composição sempre esteve presente comigo desde à adolescência. Eu via a questão de ter uma banda, sempre como outra profissão, carreira. Tanto, que desde então, estive em dezenas de bandas e de diferentes estilos, todas com composições minhas. Toda essa experiência me deu bagagem e maturidade pra entender que uma carreira solo sim, faria todo sentido pra mim.

O início das minhas atividades solo foi em 2016, onde fiz alguns shows (sozinho e com banda) com repertório variado baseado nas composições (de vários projetos) ao longo dos anos.

Agora, a proposta é consolidar um estilo definido, um repertório atual, com um estilo bem alternativo e com toques mais sutis de pop. Uma evolução, ao meu ver como músico.

A questão também é trabalhar, duas, três, dez vezes mais do que sempre costumava fazer. É o amor pela música falando mais alto como nunca.

 

(PAPO ALTERNATIVO) Eu percebo uma pegada que lembra em alguns pontos algumas músicas do Nirvana. Você tem essa influência de Seattle? De onde, exatamente, vem as influências do seu trabalho?

(HENRIQUE) Acho bem interessante essa sua afirmação, minhas influências são diversas. Em resumo, posso dizer que sou uma mistura do Alternativo, Dream Pop, Shoegaze, Punk e o Pop. O Nirvana propriamente dito foi um marco pra mim, foi assistindo aos vídeos da banda que aprendi como “tocar” guitarra, fazer riffs e etc.

Nirvana também foi uma porta de entrada para o alternativo (os anos 90, Pavement, Sonic Youth) e até o punk rock. Com certeza é uma influência que carrego desde então.

Somado com essa carga, hoje, principalmente pela questão da língua, tenho bastante influência de bandas nacionais e atuais como: Terno Rei, Ludovic, gorduratrans, Lupe de Lupe, etc.

(PAPO ALTERNATIVO) “Do Aquário” fala sobre estar preso em um mundo sujo e limitado, onde vivemos para convencer os outros de que somos bons. A proposta seria para rompermos com essas amarras as quais estamos sujeitos? Conta pra gente um pouco a respeito de todo o significado da letra.

(HENRIQUE) Normalmente as minhas letras vêm do meu inconsciente, baseado em experiências que vivo direta ou indiretamente, seja comigo ou com qualquer um.

Do Aquário“, reflete grande parte da sociedade que vive nesse mundo sujo e limitado e, não sabe disso. A famosa tirinha “As aventuras do homem assalariado”. Fala da questão da caixa, sair, seja do seu próprio quarto, da própria alienação de um canal de TV ou da própria vida que é uma perfeição no Instagram, mas na verdade é uma prisão perpétua.

 

Henrique Frederico 3

 

(PAPO ALTERNATIVO) Ainda sobre a temática, no seu ponto de vista, o que deve ser feito para buscar a liberdade para além deste aquário e o que existe fora dele?

(HENRIQUE) A proposta é acordar. Buscar o sentido da vida que é viver. Nunca mais existirá outro dia 1 de março de 2018. Lutar por tudo que temos direito, lutar por espaço, lutar por voz. Que o altruísmo possa existir e principalmente, que sejamos protagonistas e não figurantes.

(PAPO ALTERNATIVO) A ideia de seguirmos além desses limites, seria para todos buscarem entender a vida de dentro do aquário do próximo, ou para constituir um mundo fora de todos os padrões? Falando a língua da música, seria todos pularem fora de seu aquário e formar uma nova sociedade, com novas formas de pensar ou se colocar no lugar do outro? Ou as duas coisas?

(HENRIQUE) Infelizmente, o vendedor de aquários continuará os criando e continuará também os vendendo. Assim como sempre teremos clientes compradores de aquários, de diversos tamanhos e decorações. A ideia realmente é entender isso. A lógica não é formar uma nova sociedade por si só, é saber em qual papel se está e o que está contribuindo para com ele.

A canção está longe de abordar uma autoajuda ou incentivar a isso, está mais pra rir e ironizar quem está nesse aquário e principalmente, quem sabe muito bem disso e continua batendo a cabeça no vidro e pedindo ração.

 

(PAPO ALTERNATIVO) Com o single lançado, o momento é de divulgar a canção e continuar a apresentar seu trabalho, mas além desse, quais são os próximos passos que você pretende trilhar?

(HENRIQUE) A ideia é lançar alguns singles ao longo do ano, logo após isso, lançar o disco completo. As composições e estética desse disco estão praticamente todas finalizadas e são repertório para os shows. Fora os lançamentos, dedicar a esses shows com muita intensidade e honestidade.

 


 

Confiram o single “Do Aquário” no link abaixo e acompanhem o trabalho de Henrique Frederico, através da página oficial do músico no Facebook.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s