O “Afeto” de Santos em meio a um turbilhão de sentimentos

Por: Vinícius Aliprandino

Capa (distribuição)

 

Imagine juntar todas as memórias de vários anos de sua vida e fazer um álbum falando delas. Foi isso que o músico Santos fez. Em “Afeto” o músico recrutou alguns nomes tais como Felipe Neiva, Nathane Rodrigues, Luiza Mascarenhas, Charles Faria, Matheus Antonio e João Carvalho, para participarem, e deu vida a um trabalho que fala sobre amor, tristeza, frustração, realização, fé, incredulidade, passividade, atividade. Esses temas confrontam entre si ao longo do trabalho de Santos.

No total são 21 faixas. Parece muito, mas para falar de tantos sentimentos, tantos acontecimentos e colocar todas essas memórias em um único disco, exigiu que o álbum fosse composto por cada uma das músicas presentes.

As faixas do disco vão da calmaria até mesmo a sensações de desespero, raiva e revolta, refletindo em canções viscerais. Em um momento a tristeza e a melancolia se mostram dominantes de modo que a música siga calma e depressiva, em outros momentos, as guitarras abrem suas distorções e junto com as batidas e palhetadas mais enérgicas, o disco abre espaço para momentos de fúria. São os sentimentos e as memórias dialogando e até brigando entre si. Sendo colocadas em confronto, em conflito e resultando na arte visceral de Santos.

“O esforço e a dor
O segredo e o amor
O manter-se em ter
O equívoco em ser “

Em outros momentos de “Afeto”, a situação se inverte. O Overdrive é quem faz a abertura, trazendo momentos turbulentos logo de início. Como é o caso de “Ímpar”. Na música Santos fala sobre tentar, sobre falhar, sobre seguir para alcançar seus objetivos, sobre não dar ouvidos a quem o ama, mas ao mesmo tempo, fala também das pessoas que só procuram quando precisam de algo.

“Eu tenho pressa
Pra atingir minhas metas
E da minha rua eu sei o nome de ninguém”

Em “Afeto”, Santos traz uma pegada mais voltada para a música acidental, porém o músico possui outros projetos de Noise e Hip Hop. No disco, Santos flerta com diversas influências de timbres e gêneros. Entre os nomes que servem de inspiração para o compositor estão Lupe de Lupe, Negro Leo e Boogarins.

A ideia do nome do disco é a de que afeto está presente em toda ação de nossas vidas. Nossa comunicação é feita com base nesse sentimento. De acordo com Lucas, somos afetivos, afetados pelo redor e o redor afetamos. Ao não ter afeto pelo próximo, caímos no ostracismo. Nisso temos a repulsa e excluímos ou somos excluídos de alguma relação.

Quero descansar 
Você em mim 
Deitar-me em nossos nós de nós

Afeto” foi lançado pelos selos Pessoa Que Voa e Paracelso Records. As gravações aconteceram em parte no Estúdio Mira e teve a mixagem realizada por Theuzitz, João Carvalho, Nathanne Rodrigues e Felipe Neiva. A masterização ficou a cargo do próprio Santos.

Confiram o disco nos links abaixo e acompanhem o trabalho de Santos, através da página oficial do músico no Facebook.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s