A diversidade de ritmos no “Laborioso Vinho”, da Igapó de Almas

Por: Vinícius Aliprandino

Igapó de Almas por Rudá de Melo
Foto por Rudá de Melo

Influenciado pelos ritmos da região Amazônica e do Nordeste, o Igapó de Almas lançou o disco “Laborioso Vinho”. O álbum traz muita experimentação, com sintetizadores, colagens de samples, beats e outros elementos que reforçam a sonoridade.

Ao longo do disco é possível se deliciar com o som do rock, do jazz e do trip hop, que se juntam ao coco, baque acreano e ritmos Yawanawá.

A diversidade cultural brasileira, recheada de ritmos, serve não apenas como uma influência para a Igapó das Almas, mas também é uma forma da banda conhecer melhor o país, em cada um dos seus cantos, através da música.

O Brasil é imenso, a música sempre ajudou a nos conhecermos melhor. Fazer algumas dessas influências soarem através da música pra gente é uma forma de agradecer e de manifestar nosso profundo respeito pela cultura de povos que são, na verdade, anteriores a qualquer possibilidade de existência de um país chamado Brasil”, comenta o músico Henrique Lopes.

E se a aula para dar vida ao álbum foi o processo de conhecimento dos ritmos brasileiros, a prova da matéria estudada foi a composição e gravação de “Laborioso Vinho”. O álbum foi baseado em aprendizados e experiências, que aconteciam no país no decorrer do seu desenvolvimento.

Além do estudo, outra questão foi fundamental para a produção – a paciência. Em alguns casos, os músicos precisaram “tirar o pé do acelerador”. Esperaram um tempo antes de gravar, regravaram, deixaram as ideias fluírem para só então, depois de muita calma, dar vida ao álbum – por isso do nome do álbum “Laborioso Vinho”.

Gravamos, desgravamos e experimentamos bastante. Foi preciso se mover e bater cabeça, experimentar; nesse sentido de envolvimento foi laborioso. Mas também foi preciso não agir, esperar, dar tempo ao tempo, deixar rolar; nesse sentido foi tipo como vinho”, explica Henrique.

Igapó de Almas_crédito Paulo Fuga
Foto por Paulo Fuga

Ao todo são 13 faixas, ao longo de pouco mais de 54 minutos, com elementos regionais. Do mundo amazônico ao baião, se unindo a floresta e a música cabocla. E ainda, o grupo somou todos esses elementos juntos às batidas eletrônicas.

As faixas que fazem parte de “Laborioso Vinho” são: “Andando Só” que teve a participação de Luísa Guedes; “Vuelo Sin Mapa”, “Abala”, na qual Débora Malacar participou, “Salsa Division”, “Solidão Avulsa”, que contou com Clara Pinheiro, “Tropical Madness”, com participação de Tiago Landeira, “Se Fique”, “Lombrorges”, a faixa “Laborioso Vinho”, que dá nome ao disco, “Baixo Maiame”, que contou com a participação de EDGAR e Maria Di Lia; “Yuma Ushe (Peixe Lua)”, “Goteiras” que contou com Tiago Landeira; e “Ar” da qual Tiago Landeira também participa.

A produção musical e mixagem são de Walter Nazário e Pedras. “Laborioso Vinho” foi gravado nos estúdios: Cigarra, Vovó, Jangada, Mangueirão e Cantilena. Para a parte de masterização, a banda contou com Cris Lander. Sandro Freitas ficou responsável pela capa do álbum.

A produção executiva foi de Henrique Lopes. O selo que distribui o disco é o Rizomarte Records.

A banda é de Natal-RN e conta com Pedras, Walter Nazário, Henrique Lopes, Rafael Melo e Artur Porpino.

Confiram “Laborioso Vinho” nos links abaixo e aqui no Bandcamp, e acompanhem o trabalho da Igapó de Almas, através da página oficial da banda no Facebook.

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s