Yannick encerra ciclo de EP com clipe de “Ressurreição”

Por: Vinícius Aliprandino

© 2017 Luís França - www.luisfranca.net - Direitos reservados.

O “não que virou sim”. Assim se define o próprio Yannick. O rapper, que já sofreu preconceito dentro da própria cena musical, lançou um clipe falando a respeito. O vídeo é o oitavo de uma série lançada para o EP “Também Conhecido Como Afro Samurai”, de 2016.

Encerrando um ciclo de sua carreira, Yannick traz a faixa “Ressurreição” que, trata de um momento vivido por “Afro Samurai” – personagem do álbum e do anime “Afro Samurai – Resurrection”, de 2009.

Na canção, assim como no enredo do desenho, Afro se vinga pela morte do pai. Após o ato, o personagem se vê perdido, então se isola e não encontra mais sentido na vida. Porém, como nada é um ponto final, um novo desafio em sua vida o traz forças para seguir em frente.

No ciclo que se encerra, “Ressurreição” tem outro motivo especial para Yannick. Além da temática principal da música, a canção também faz uma ligação com a vida do rapper, que já revelou a dificuldade em realizar o EP.

Yannick conta que já sofreu muito preconceito dentro da cena do rap nacional, porém se manteve focado em sua identidade, quebrando assim paradigmas dentro da cena musical. Por isso o próprio rapper canta na canção, que traduz essa barreira enfrentada em sua vida: “É o não que virou sim”.

Para dar ainda mais vida ao clipe, o músico contou com a participação dos gêmeos Raony e Keops – integrantes da banda Medulla.

O trabalho se inicia com um clima sombrio. Logo no começo Yannick aparece soltando os versos pesados que justificam o nome da canção “da vida a morte, da morte a vida, a noite eterna, o som que finda. A sina que nunca será esquecida, a cabeça da vez é a minha”.

Em seguida, ao mandar a frase “Sobre chuvas e trovões, eu caminho”, Yannick mostra que a vida é feita de superações e as barreiras ficam para trás. Toda esse confronto entre dificuldades e persistência, até que o problema seja derrotado, resulta em sair mais forte, depois de cada batalha.

O clipe foi dirigido por Seiji Hara e Rodrigo Furlani. A edição e produção ficaram a cargo de Rodrigo Furlani e Norberto Filho. O beat ficou a cargo de Paulo Júnior. O figurino utilizado no vídeo são da banda Medulla.

A mixagem e masterização ficaram sob a responsabilidade de BlakBone, nos estúdios da Live Station.

Confiram o clipe de “Ressurreição” no link abaixo e acompanhem o trabalho de Yannick, através da página oficial do músico no Facebook.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s