Garrafa Vazia fala do clipe de “Abraça o Poste”, novo álbum e muito mais

Por: Vinícius Aliprandino

garrafa-vazia-quarteirão-916x682

Manter uma banda não é tarefa fácil. É comum ver bandas encerrando seus trabalhos, muitas vezes por falta de incentivo, outras as vezes por entenderem que o ciclo dos músicos ali presentes pede que o grupo acabe, entre outros inúmeros motivos que levam isso a acontecer.

Entretanto a resistência cultural existe. Independentemente dos perrengues da estrada, muitas bandas seguem na luta, para que aquela forma de expressão artística não acabe.

Desde 2009, o Garrafa Vazia trilha a estrada, que por mais que seja uma jornada difícil, quando se têm objetivo, vontade e prazer no que faz, tudo isso vira combustível para percorrer outros caminhos, e viver roubadas e glórias, como o próprio vocalista da banda, Mário Mariones disse, em entrevista concedida ao Papo Alternativo.

E, de tanto persistir, o grupo vem alcançando mais glórias, graças à dedicação e trabalho sério, apesar do jeito descontraído das músicas do Garrafa. A banda recebeu um convite para atravessar o Atlântico, e tocar na Inglaterra, em um dos maiores festivais punks do planeta – o Rebellion.

O grupo, recentemente, mudou sua formação, passando a atuar como um quarteto, que além de Mariones no baixo e rasgando os vocais, Ralph Faust no comando da bateria, desde 2011; também fazem parte do Garrafa VaziaVanil Cardoso e Saulo DS, nas guitarras e vocais de apoio.

Com um novo time em campo, a banda aproveitou e já lançou o clipe da música “Abraça o Poste“, filmado no jeito punk “faça você mesmo” – com uma câmera em mãos e pedaladas de bicicleta pela cidade, filmando o que aparecia pela frente.

Simples, curta, engraçada e de uma maneira que gruda na cabeça, bem ao estilo que o Garrafa Vazia sabe fazer, a letra da canção foi inspirada nos causos de um finado jornal de São Paulo, chamado “Notícias Populares“.

E o grupo rio-clarense não para por aí. O Garrafa Vazia já tem planos para lançar o álbum “Cirrose“. O disco foi produzido por Max Matta e Rodrigo Bigga, no Lab Sound, em Piracicaba-SP.

Detalhes do álbum, da produção, curiosidades da banda, planos, a parceria com uma gravadora,  e outros assuntos foram revelados na entrevista que o Papo Alternativo realizou com o vocalista e baixista Mário Mariones.

Confiram!


54410838_367756394075519_4332263615177424896_n

 

(PAPO ALTERNATIVO) Olá, Mariones, primeiramente muito obrigado por conversar com o Papo Alternativo. São 10 anos de Garrafa Vazia e muita história de punk rock e estrada. Para começar nossa entrevista, conta pra gente o que mudou de 2009 pra cá, dentro da cena punk e dentro da banda, agora que vocês passaram a ser um quarteto.

(MARIONES) Boa, pessoal! Eu que agradeço ao Papo Alternativo pelo espaço.

Sim, são dez de muita estrada, de muito punk rock e bagacêra. Mas antes disso eu já tocava, minha primeira banda é pros idos de 1996. Aí em 2009 veio a banda “séria”.

Como Garrafa Vazia, a proposta era fazer som em português. Então, foram inúmeras demos, coletâneas, horas e horas nos mais diversos estúdios. Rodamos por várias regiões do país.  Encaramos roubadas e glórias. Conhecemos uma pá de galera gente fina. Hoje, nos sentimos renovados a cada instante e estamos mais experientes, a estrada nos fortaleceu.

Dentro da cena punk acho que é cíclico: há momentos de maior convergência entre bandas e espaços (bares, festivais) – e também momentos de reciclagem, pequenos hiatos, é norma oscilar. Mas sempre o underground reluz no horizontes, com suas labaredas prontas para infectar as novas gerações, que prosseguem a erguer a revolta e o direito à diversão de todos. E hoje, o acesso é mais sossegado pra gravar, difundir seu trabalho.

Afinal, quem quer faz. Com o Garrafa foi assim. Depois de anos e lutas, uma gravadora (Neves Records) decidiu apostar e investir na gente, acreditando na seriedade do nosso empenho, nossa força da banda. Tem que ser profissional. Tem que ser muito profissional: mas sem perder o viés da arte, a centelha da renovação, fugindo do óbvio, porque se é óbvio demais, não é arte, né?

Pela Neves Records tivemos o “Corotinho” lançado no final de 2016 e o “Cirrose” que vem aí logo menos. Os dois discos de vinil foram prensados na Europa. A sonoridade é impressionante.

Dentro da banda, ao longo dos anos tivemos diversas mudanças na formação, mas o irmãozão Ralph Faust está na bateria destruindo tudo desde 2011. A cozinha segue firme e forte. Agora, somos um quarteirão-quarteto: Vancil Cardoso e Saulo DS assumiram as guitarras e também vocais, backing vocals. O som está bem poderoso, reforçando a identidade de alegria e atitude da banda e anárquica presença de palco.

 

(PAPO ALTERNATIVO) Muitas bandas não conseguem dar sequência nos trabalhos e acabam. No caso de vocês, qual o segredo para manter a chama viva e seguir em frente?

(MARIONES) Creio que é porque é impossível viver sem música. Só é artista quem tem fé inabalável em seu potencial artístico. Que quer só pagar pau e pendurar no ombro um apetrecho uma hora cansa, porque tem que ralar muito, tem que cair na estrada, dar a cara a tapa, sangrar os dedos, suar até a morte. Só acredito em banda honesta.

Outra coisa que ajuda é procurar conhecer bandas novas e não abandonar o ritual das verdadeiras audições: para apreciar música é necessário frear esse automatismo sufocante da era da informação: escolha um local sagrado, coloque discos de vinil seminais pra rolar, e curta, se perca nos detalhes, em divertidas resenhas. O  segredo é amar e, de certa forma, morrer pelo rock and roll.


(PAPO ALTERNATIVO) Vocês estão preparando o álbum “Cirrose”. O que o público pode esperar desse novo trabalho?

(MARIONES) Punk, refrão e sucesso.

É um disco pra cima, com muita energia, positividade. A produção do Max Matta e do Rodrigo Bigga no Lab Sound, em Piracicaba, foi  primorosa.

É um puta discão, de primeiro mundo, pra animar qualquer bailão. A escolha das canções permaneceu criteriosa, do início ao fim. O resultado final é um disco bem redondo, com o perdão do trocadilho. Bem coeso. São 14 goles ao maior estilo “faltou folia? Garrafa Vazia, chefia” !

54350959_344919943032826_1338086426729775104_n

(PAPO ALTERNATIVO) O punk, muitas vezes, é crítico com relação à política e à sociedade. Dentro do Garrafa Vazia vocês também têm essa visão da sociedade brasileira atual?

(MARIONES) Somos todos libertários. Somos contra toda forma de opressão, discriminação, preconceito e abuso de poder, desapropriação da vida.

Três de nós somos da área da Educação, então nosso sonho, nossa luta é concretizar a potência da noção de coletividade – sem sectarismo, sem demagogia –  pensando sempre num país mais justo e inventivo, com boa qualidade de ensino e acesso a todos.


(PAPO ALTERNATIVO) Vocês lançaram recentemente o clipe de “Abraça o Poste”. Ele vem de um jeito bem ao modo punk do “faça você mesmo” e somado a isso tem um estilo engraçado quando se une a música cantada com o vídeo. Como foi feito o clipe de “Abraça o Poste”, quem participou do trabalho e de onde veio a ideia para a letra da música? Foi de um acontecimento específico?

(MARIONES) Então, sou eu mesmo, pedalando de bicicleta pelas ruas de Rio Claro, com celular emprestado. Tudo bem simples. Depois editei aqui em casa mesmo, com ou outro filtrão anos 80, tudo espontâneo, sincerão, esquema “faça você mesmo”.

A ideia da letra é do folclórico e finado jornal “Notícias Populares”. O tom sensacionalista é de fina ironia, casando com o minimalismo lírico presente em boa parte das canções da banda.

54514572_2160556997344125_2840166649124880384_n

(PAPO ALTERNATIVO) Vocês são de Rio Claro-SP. Como está o fluxo da cena musical da cidade e da região ?

(MARIONES) Tem muitas bandas na ativa, ótimas bandas. Seria injusto citar algumas e correr o risco de deixar várias de fora. No entanto, não há como não citar o Dezakato (formada em 1990) aqui de Rio Claro e o Muzzarelas, de Campinas (formada em 1991). Elas são grande inspiração para nós! Ambas estão na ativa, tocando e gravando discos!

O interior de SP e a capital e o ABC oferecem muito espaço para o rock alternativo. Basta querer. Nessa nossa Garrafa Vazia Tour de 10 anos vamos passar por vários trechos onde a chama do rock está mais do que viva, estamos bem empolgados!

(PAPO ALTERNATIVO) Além do clipe e do novo álbum que deve sair em breve, quais são os próximos passos do Garrafa Vazia ?

(MARIONES) Agora com duas guitarras, não vamos “mudar” a identidade da banda. Mas é nítido o poder das paredes de guitarra. Algumas das novas canções tem vários riffs cativantes, então creio que ainda em 2019 vamos entrar novamente em estúdio pra registrar novas canções, a banda sempre teve esse caráter prolífico quanto ao fluxo nuevo fuego cancioneiro.

Recebemos o convite pra tocar no Rebellion em agosto, na Inglaterra, no maior festival punk do mundo, com quatro dias de sonzera – o Rebellion acontece desde os anos 90 e reúne os maiores nomes do planeta em matéria de punk rock, hardcore e rock alternativo. Ficamos muito felizes em ser chamados.

E tem ainda a festa de lançamento do disco, “Cirrose”, tem a festa de 10 anos de banda, e tem um monte de data, a gente vai cair na estrada e se divertir e levar uma boa bagunça pra turma, com novo merch e muitas novidades no repertório!

(PAPO ALTERNATIVO) Mário, a entrevista está chegando ao fim Gostaria de agradecer sua atenção. Esse último espaço é reservado para você deixar um recado para o pessoal que acompanhou a nossa conversa.

(MARIONES) Rock é linguagem, é liberdade. Eu acho que as pessoas tem que pensar positivamente. Praticar a empatia, a gentileza. Ao invés de alimentar clichês e limitar-se ao mero juízo de vapor e papagaiar, falar bem ou mal de alguém, é muito mais fodão optar pelo novo, pelo pensamento crítico, a conversa franca e produtiva: vamos trocar sons, leituras, filmes, sair um pouco da internet – não ficar idiotizado num ambiente virtual de espetáculo picareta, saca?

Algoritmo sai, entra Dom Quixote, Hamlet, Brás Cubas. Vamos ler um Sartre, “A Náusea”, Salinger, Cruz e Sousa, Murilo Mendes, Henry Miller, Dostoiévski, eu devorei quase todos livros do Graciliano Ramos e creio que isso me fez crescer como ser humano, assim como os livros do Kerouac me inspiram demais. Estudem outras línguas, vejam os filmes do Jim Jarmusch, do Zurlini, do Aki Kaurismaki – redescubram toda a força do rock dos anos 90, conversem com a lua porque a vida é curta, então, força sempre e empatia idem, o esquema é carpe diem, chefias!

Valeu, Papo Alternativo. Acompanho o trampo de vocês, estão de parabéns, vocês são MUITO, MUITO IMPORTANTES para nós, amantes das artes! E agradeço-lhes de coração, mais uma vez. É nóise!


Confiram o clipe de “Abraça o Poste” no link abaixo e acompanhem o trabalho do Garrafa Vazia, através da página oficial da banda no Facebook.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s