Entrevista – Firgun quebra a inércia e dá vida ao clipe de “Mandrião”

Por: Vinícius Aliprandino

Lécio_Dias_Firgun_matéria_papo_alternativo_4_foto_por_andre_machado_alves
Foto por @andremachado_alves

 

Dançante, em quarentena, em português e desta vez, em vídeo. Assim nasce o clipe de “Mandrião” do cantor e compositor português Firgun (Lécio Dias), que chega e lança a real, sem meias palavras “quem quer, arruma uma maneira”.

Quem ama, demonstra, quem quer, corre atrás; rompe a inércia e busca o objetivo. Essa é a ideia que Firgun colocou em seu single, que ganhou clipe.

No dicionário, o significado da palavra “mandrião” confirma ainda mais o sentindo que o cantor português deu para a canção – “aquele que mandria, que se mostra preguiçoso para trabalhar ou estudar; preguiçoso, indolente, mandrana”.

 

Inércia, quarentena e solução

Ao longo da música, Firgun questiona “Ó, seu mandrião, vais mexer o corpo ou não?”. Afinal, por mais que se tenha vontade, sem a ação, não vai chegar a lugar nenhum. Então, a música é um alerta para levantar e tomar uma atitude.

E que atitude melhor do que em uma época em que necessitamos ficar em casa, em meio a uma pandemia que, muitas vezes, joga a criatividade fora e dá forças ao desanimo. Romper essa barreira se faz necessário para que a arte não pare.

 

Lécio_Dias_Firgun_matéria_papo_alternativo_2_foto_por_andre_machado_alves
Foto por @andremachado_alves

 

Mas então como fazer para o show continuar, estando presos dentro de casa? Até porque não é apenas o Brasil que vive esse dilema. Portugal, país de Lécio, assim como o restante do planeta, também vivem a mesma situação.

A solução foi simples e criativa. Afinal, quem quer arruma um jeito não é mesmo.Com a mesma iniciativa de vários artistas, que, em tempos de confinamento, encontram para não deixar a música parar, a solução foi buscar vídeos que não exigem direitos autorais, que se encontram livres na internet, prontos para serem utilizados. Com um vasto campo de material em mãos, Catarina Pinheiro soube muito bem o que fazer.

 

Lécio_Dias_Firgun_matéria_papo_alternativo_5

 

Quem faz

E por falar em Catarina Pinheiro, vale lembrar que para essa nova fase, Lécio Dias não está sozinho. Após o lançamento do álbum “Gato Bravo”, o músico retorna, com parceiros que os dão, ainda mais força em uma nova fase de sua carreira.

Enquanto a letra e a música são do próprio Firgun, a produção ficou por conta do próprio artista ao lado de SO-LU. A masterização foi realizada por Prisma (Sine Factory). Já a edição do vídeo ficou a cargo de Catarina Pinheiro.

Para falar um pouco mais a respeito do clipe, da nova fase da carreira, a história da canção, repercussão, e planos, o Papo Alternativo realizou uma entrevista com o músico, que você pode conferir logo abaixo.

 


 

(PAPO ALTERNATIVO) Lécio, obrigado por conversar com o Papo Alternativo. Pra começar a entrevista… Esse é seu primeiro clipe lançado né? Conta pra gente qual é a sensação desse novo passo em sua carreira.

(FIRGUN) Vini, um obrigado enorme pelo convite. Sabes que é um gosto enorme poder falar contigo! Primeiro em meu nome, sim. O vídeo foi editado pela Catarina Isabel (a meu convite), surgindo como resposta à necessidade imposta pela editora de apresentar um “vídeo” no seu canal do YouTube.

 

(PAPO ALTERNATIVO) Como foi que você decidiu que iria gravar o clipe. Contou com a ajuda de alguém? Quem é o pessoal envolvido, junto com você, nesse trabalho?

(FIRGUN) O vídeo tira proveito de vários vídeos sem direitos autoriais recolhidos da net, sendo que a magia passa toda pela escolha e edição que a Catarina trabalhou. Quase como uma colagem artística de excelente bom gosto, claramente!

 

Lécio_Dias_Firgun_matéria_papo_alternativo_1

 

(PAPO ALTERNATIVO) Em “Mandrião”, os passos de dança e o ritmo da música casam com o movimento de outras cenas do clipe, como as ondas do mar por exemplo. Existe alguma mensagem nessa sintonia?

(FIRGUN) Movimento constante, sempre. Ritmo, dinâmica, impacto físico, suor, tentação, vontade, ânsia… O dinamismo da existência e a apresentação da possibilidade de gerar-se movimento e, em particular, dança em qualquer momento… Depende (apenas e só) do nosso bem-estar e da nossa boa disposição!

 

 

(PAPO ALTERNATIVO) Falando sobre a letra de “Mandrião”, ela é baseada em alguma experiência da sua vida?

(FIRGUN) Em parte, Vini! A letra foi escrita em estúdio, no espaço de 5/10 minutos… A versão final é exatamente a primeira versão; ou seja, a letra não sofreu qualquer alteração desde que foi escrita. Tirando a razão subjetiva que desperta o contexto da mensagem, é importante referir aquela que tem sido uma constante (desde que sou artista): trabalhar (e muita).

Trabalhar passar pelo estúdio, pela composição em casa, pela produção, pela leitura para enriquecer conteúdo, pelos part-times (desde os insultos enquanto árbitro de Futsal até à limpeza das casas de banho em restaurantes, bares, gelatarias, etcs…). Sempre trabalhei muito para conquistar as minhas pequenas vitórias (por mais irrelevantes que sejam). “Quem anda por gosto, não cansa.”, dizia-me a minha mãe. quando eu caminhava mais de 10 kms carregado com equipamento para ensaiar com a minha banda (quase todos os dias, durante os verões).

Atualmente, tendo algum reconhecimento, alguns miúdos e novos artistas recorrem à minha pessoa para obter opinião e ajuda perante o seu trabalho… E, na verdade, incomoda-me muito a falta de humildade de alguns deles…

Um passo um pouco maior que o expectável (para um artista nos seus inícios), e o ego atinge níveis estratosféricos… Acreditam que por pagarem a um bom produtor para trabalhar as suas ideias ou por serem agenciados, investirem em promoção (etcs) terão bons temas… Não, não funciona assim… Em 15 temas que idealizo, 1 ou 2 são capazes de marcar (definitivamente) pela diferença…

É preciso trabalhar muito para ser-se original… O dinheiro não é tudo e, na verdade, um bom produtor, um bom agente e boa promoção (ainda que cruciais) não resultarão em nada se não trabalhares arduamente. O que acaba por acontecer? Chegam à conclusão (grande parte das vezes) de que não foi suficiente… E porquê? Porque te queixas? Trabalha mais! Lê mais! Toca mais! Tu consegues… com trabalho!

Uma coisa é ter-se hype e estar na moda… Outra é ser-se intemporal e ter uma carreira… Para que a segunda seja possível, tens que trabalhar muito.

 

103789791_3140283806035898_7510861201349842002_o

 

(PAPO ALTERNATIVO) E a repercussão desse lançamento. Como o público tem, neste primeiro momento, reagido ao clipe?

(FIRGUN) O tema tem sido super bem recebido… Os fãs do meu trabalho adoram (e alguns novos ouvintes) tornam-se também fãs do mesmo. Tenho recebido muito amor do público em geral e, na verdade, estou muito contente por (finalmente) ver a minha originalidade a ser reconhecida e, também, o SO-LU a ser valorizado pelas suas qualidades de produtor (SO-LU com quem co-produzi este tema).

 

(PAPO ALTERNATIVO) Após o lançamento do seu último álbum, você anunciou, no final do ano passado, que passaria a contar com outras pessoas do meio musical para ajudar em seu trabalho. O que te colocaria em uma outra fase da sua carreira. Como tem sido isso?

(FIRGUN) Muitas colaborações avizinham-se, sendo que muitas fogem do meu estilo habitual e, na verdade, ainda bem! Apesar de tudo, o impacto é limitado ao nicho que consome o trabalho desses mesmos artistas, visto que sendo grandes artistas, sofrem (um pouco) com a falta de exposição pública (tal como eu).

Ainda assim, trabalhar com pessoas como o SO-LU, é algo que enriquece a sobriedade artística de qualquer um… Muitas colaborações fantásticas a caminho!

 

 

(PAPO ALTERNATIVO) Sei que você acabou de lançar o clipe e, por enquanto, vai saborear essa fase e divulgar ao máximo esse trabalho. Mas você é um artista que está sempre em movimento. Tem sempre lançado novos trabalhos. Com clipe lançado, você já teria um próximo passo ou ainda é cedo, porque pensa em divulgar mais esse trabalho e também sentir mais esse momento?

(FIRGUN) Tudo depende da disponibilidade financeira… O meu próximo álbum vai já a meio (a nível de estruturação), mas falta capital para investir numa boa captação vocal, numa boa mistura e numa boa masterização… Aguardo o momento certo para investir no próximo single.

Ainda assim, partilho (em estreia absoluta) a novidade de que será apresentado um novo EP acústico, “Marialva“, gravado pelo enormíssimo Jorge Portela (The Vox – Vocal Recording Studios, em Santa Maria da Feira). O EP ainda não tem data definida.

 

Lécio_Dias_Firgun_matéria_papo_alternativo_3_foto_por_andre_machado_alves
Foto por @andremachado_alves

 

(PAPO ALTERNATIVO) Lécio, a entrevista está chegando ao fim. Obrigado por conversar com o Papo Alternativo. Este último espaço é reservado pra você deixar alguma mensagem na entrevista ou falar sobre algo que talvez não tenha sido abordado.

(FIRGUN) Obrigado, Vini! Agradeço o convite (de coração). É um prazer falar contigo, sempre, sendo que tenho muito gosto em poder apresentar e falar sobre o meu trabalho, com a Papo Alternativo!

Pessoal, ajudem os artistas com muitas partilhas e likes… Não custa nada!

 


 

Confiram o clipe de “Mandrião” no link abaixo e acompanhem o trabalho de Firgun, através da página oficial do músico no Facebook e do perfil no Instagram.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.