Em clipe, Rematte denuncia as cercas invisíveis da sociedade

Por: Vinícius Aliprandino

Foto por Jean Ribeiro

Despejo, demolição, escombros, ódio, desigualdade social e famílias desabrigadas. Com muita fúria, fortes críticas e música pesada, a banda de rock cearense Rematte abordou, em seu mais novo clipe, a situação de pessoas que foram retiradas á força de suas casas, em prol do avanço do crescimento da cidade, porém que não foram relocadas, permanecendo assim sem ter onde morar.

A Cerca” surge com vocais melódicos, porém desesperados, em busca de soluções para a desigualdade social que assola milhares de pessoas. Na canção, o Rematte utiliza da metáfora para abordar as questões de cercas invisíveis, presentes na sociedade, criadas por aqueles que disseminam o ódio e o egoísmo.

 O texto é uma costura de reflexões e críticas sobre a nossa sociedade, que está metaforicamente (ou não) recortada por “cercas invisíveis”, que não enxergamos, mas que são tão sólidas quanto o ódio de quem as cria e de quem as vivencia. Cercas sociais, raciais, econômicas, religiosas, e todas aquelas que subtraem da humanidade a capacidade de perceber a existência do outro, do coletivo, da diversidade, e o prejuízo impagável que isso imprime em uma visão de mundo mais justa”, explica o vocalista Daniel Gadelha.

Clipe e gravação da faixa na pandemia

O vídeo apresenta a banda exibindo sua performance, enquanto que, em outras cenas, trechos da série documental “Cartas Urbanas” e do vídeo, produzido pelo Coletivo Nigéria Filmes, “Comunidade Alto da Paz é despejada pelo Batalhão de Choque”, são apresentadas, relatando a dor, o sofrimento e o descaso pelos quais inúmeras famílias passam.

Em meio á pandemia, a banda precisou buscar uma solução alternativa, para gravar a canção. Deste modo, o grupo optou por gravar instrumentos e vozes, de maneira remota, separadamente, sob a orientação de Matheus Brasil (Matt B), produtor parceiro, que já trabalhou com o Rematte em trabalhos anteriores. 

Em seguida, a faixa foi gravada por Matheus Brasil, Thiago Barbosa, Leandro Osterne (Estúdio Esconderijo – CE) e Jânio Florêncio (Top Studio – CE) e contou com a produção de Matheus Brasil. O reamp de guitarras ficou a cargo de Zeca Leme (BTG Studio – SP). Já as partes de mixagem e masterização foram realizadas por Matheus Brasil.

Gravar a distância foi um mix de medo e euforia. Medo pela pandemia, e euforia por voltar a produzir e querer que o trabalho ficasse logo pronto. A cada elemento que era gravado, uma comemoração era feita! Apesar de toda a preocupação de como iria ficar, já que cada um estava gravando de um jeito diferente, a certeza de que ficaria bom era sempre presente, pois confiamos demais no Matheus”, explica o baixista Jonas Monte.

Arte de capa por Daniel Gadelha

A arte de capa nasceu das mãos do vocalista da banda Daniel Gadelha. O lançamento está sendo realizada através do selo Eletric Funeral Records.

O Rematte nasceu, em 2017, na cidade de Fortaleza-CE e conta com Daniel Gadelha (voz), Jonas Monte (baixo), Thiago Barbosa (guitarra) e Álvaro Abreu (bateria).

Confiram o clipe de “A Cerca” no link abaixo e acompanhem o trabalho da Rematte, através da página oficial da banda no Facebook e do perfil no Instagram.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.