Single de Dy Fuchs aborda os julgamentos sofridos por pessoas trans na sociedade

Por: Vinícius Aliprandino

Meu corpo é só um casca e o que sou são mais do que palavras”. Com esse verso se inicia o single “Humanos Têm Medo de Nós”, da artista transexual, de Carapicuíba, na grande São Paulo, Dy Fuchs.

O single surge com uma estética futurista, cyberpunk, embalado pelo dreampop que se mistura com a música indie e o pós-punk. A escolha pela estética da forma como é não foi por acaso. A ideia que a artista teve foi a de criar o cenário onde poderiam existir ciborgues convivendo em meio aos humanos.

Humanos e ciborgues

A comparação se dá ao fato de que Dy Fuchs utiliza de um cenário onde que os humanos, com sua forma ultrapassada de ser, temem os ciborgues – no caso a própria artista e outras pessoas, também transexuais.

Com forte crítica aos olhares e julgamentos de uma sociedade, ainda extremamente conservadora e excludente, a faixa busca mostrar o pensamento da sociedade, que vê quem não se encaixa dentro dos padrões ditados pela moralidade, como uma ameaça.

“Os deuses temem ficar sós
Humanos têm medo do após
Eles têm medo de nós
Por isso calam nossa voz”

Em nova fase na carreira musical, Dy Fychs foi quem produziu a faixa. O lançamento se deu de maneira independente, da mesma forma como ela pretende lançar seus novos trabalhos.

Confiram o single “Humanos Têm Medo de Nós” nos links abaixo e acompanhem o trabalho de Dy Fuchs, através da página oficial da artista no Facebook do perfil no Instagram.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.